sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

Pastor Olivar e André Valadão, último cápitulo!




A pouco tempo estamos acompanhado o incidente entre o cantor (cheio de predicados) André Valadão e o Pastor Olivar Alves que se o amigo que nos lê esteve em outro planeta nesses últimos meses certamente não ficou sabendo, quando ao ser inquirido por sua conduta (que foi considerada inadequada e extremamente escandalosa) o cantor, pastor e etc. deu o maior chilique (coisa de estrela) e foi um tremendo rebuliço que deve ter arranhado a imagem do nosso antes ilibado cantor, e que gerou uma inesperada reação dele, (considerando as palavras que ele proferiu em resposta em seu blog), o rapaz parece que se “arrependeu “ e pediu perdão.
Pediu perdão ao Pr. Olivar, a Igreja enfim, foi uma “pedição” geral, fato comoveu muitos, e como eu havia falado, alguns fizeram de conta que nada aconteceu, o que é bom, pois isso não se tornou um cavalo de batalha entre denominações, outros praticamente usaram o falto para mostrar que o AV era um “santo” que suas palavras de humildade soaram como demonstração de que ele é realmente um verdadeiro “vaso”, e este incidente só foi uma oportunidade de deixar isso claro.
Para encurtar a conversa, achei este pedido mais cheio de vaidade e arrogancia do que as criticas ao Pr. Olivar no momento de estrelismo do Sr. André Valadão (pediu perdão mais cutucou o irmão e não reconheceu o erro em si, só à maneira como respondeu ao pastor) e que se este fato não tivesse tido uma repercussão tão grande no meio musical (gospel), talvez teríamos daqui a alguns anos um nova modinha, O ECUMENISMO SANTO!
Mas a resposta do Pr. Olivar ao pedido de perdão foi realmente a altura (só não sei quem tomou a iniciativa primeiro, também não importa), mas considero que o Pastor foi muito feliz em manter suas palavras e apenas retificar a maneira “ácida” com que criticou (discordo dele), seja como for, ele foi muito feliz em suas colocações, realmente acho que este incidente teve um final feliz, para o bem de todos e felicidade geral da nação.
O que fica de lição é a cautela com o que se ouve, porque no meio musical evangélico tem muita coisa que visa apenas o dinheiro e não a verdadeira adoração, por falar em adoração acho que o Diante do Trono e André Valadão ultimamente estão longe disto!
Esta é a minha posição! O que era considerado Heresia na antiguidade é Heresia hoje, e esses fatos quando aconteciam na época Apostólica, tinha como reação uma defesa da fé corajosa e sem meias palavras, O NOME DISSO É APOLOGIA, e por que hoje engolimos essas coisas e digerimos sem ver que a palavra exorta ao contrário?
Esta é a última noticia que postarei sobre o assunto e se alguém for comentar se identifique, pois eu assino a minha posição sobre o assunto e espero que ao comentar as pessoas também tenham a mesma hombridade.
Em Cristo!


Texto do Pr. Olivar Alves

"Peço-vos licença para deixar aqui no conhecimento de todos quantos estão a par de uma intriga que tive com o Pr. André Valadão nestes últimos meses. Assim como tornei pública a situação toda, sinto-me no dever de publicar também minha resposta ao pedido de perdão que o Pr. André Valadão postou em seu blog no fim de semana passado.
Ambos reconhecemos nossas falhas, ambos não queremos mais que essa situação se alastre mais.
Como eu não tenho site e nem blog, mas somente a minha caixa postal da qual me vali para expor a questão anteriormente, faço-me valer dela novamente só que dessa vez para também pedir-lhes perdão por ter lhes envolvido nessa questão. Também faço público o meu pedido de perdão à minha amada Igreja a qual envolvi nessa situação, não por querer prejudicá-la, mas simplesmente porque assino meus e-mail como pastor dessa igreja. Aos meus irmãos da Igreja Presbiteriana no Jardim Sul, meus sinceros pedidos de perdão. Aos demais irmão, membros do Corpo de Cristo que se sentiram ofendidos com a forma como expressei minhas palavras, peço perdão também. Só não peço perdão e volta a trás em minhas convicções, mesmo sendo taxado de fundamentalista pelas pessoas. Aprendi que é necessário arcar com as consequências das nossas convicções, mas pior do que isso, é não ter convicção alguma e ser arrastado por qualquer vento de doutrina.
Que o Senhor Jesus tenha piedade de mim e de todos os que Dele necessitam.

Eis a carta que mandei para dois e-mails de Valadão neste último sábado 22 de novembro:

"Caro irmão, Pr. André. Entro em contato com você. Se você quiser postar no seu blog o que vou dizer, fique à vontade, se não, fica entre nós, Deus o sabe. Depois que lhe respondi nesta segunda-feira (16/11), passei um dia (ou uns dias) muito triste. Não quis em momento algum prejudicar você. Deus sabe disso. Mas então porque coloquei a público? Essa é a sua pergunta e a de muitos. Não tenho blogs, e nem sites. A forma que encontrei para me defender quando senti-me ameaçado de processo por você quando você disse que estava nas mãos dos seus advogados (tive um frio na espinha) foi tornar público o assunto através do meio de que me dispunha: minha caixa postal.
Hoje depois de reler várias vezes nossa discussão, sinto-me profundamente triste e arrependido por ter feito o que fiz. Não me arrependo e nem mesmo retiro uma só vírgula do que lhe disse porque é aquilo ali que eu creio. Mas me arrependo da forma como lhe escrevi. Reconheço que fui ácido em meus comentários. Questionei não a sua pessoa, nem a sua fé em Cristo. Questionei seu comportamento. Penso que todos estamos sujeitos a isso. Eu mesmo fui muito questionado nesses tempos. Fiquei triste com vários comentários a meu respeito; outros me ajudaram a crescer mesmo quando me disseram coisas duras.
O que tenho dito a todos que entraram em contato comigo nesta semana repito a você: "acusei Valadão de união espúria, e pequei por dividir os santos". Entendo que essa divisão não fui eu quem a criou porque ela já existe há muito tempo. Contudo, nesse episódio específico eu contribuí para que essa divisão aumentasse.
Muita gente ficou triste: tanto os que são a favor do que você fez como os que são contra. Para muitos tanto você como eu, ou fomos "demônios" ou "santos".
Como lhe disse, não mudo uma só vírgula do que lhe disse, mas se eu pudesse mudar a forma, e ter sido mais amável nada disso teria acontecido.
Portanto, aqui, publicamente, peço-lhe perdão.
Sei que muitos dirão: "os dois afinaram". Mas, nós dois sabemos muito bem a intensão que dentro de cada um.
Também não sei o que levou você a realizar um show ao lado de uma banda católica. Não quero entrar no mérito da questão, mesmo porque você já sabe muito bem minha opinião sobre atos ecumênicos.
Tenho pedido perdão também a todos quantos se sentiram ofendidos com tudo isso. Porém, peço perdão por escandalizá-los com a forma como escrevi. Contudo, não retiro nenhuma palavra pois, toda a minha argumentação eu fiz com base na Palavra de Deus.
Nós dois pagamos o preço pela nossa convicção.
Perdoo você, meu irmão, mesmo porque o que eu sempre quis foi exortá-lo, e ser reprrendido não é fácil mesmo. Eu sei muito bem disso; estou experimentando isso nesses dias. Também lhe peço perdão, mas clamo a você "pelas misericórdias de Deus", volte a ser o André que você foi um dia. Aquele que nos levava a refletir sobre nosso relacionamento com Deus. Ponha de novo seu talento debaixo da glória de Cristo. Digo isso, com muito amor.
Que Deus o abençoe profundamente.
Em Cristo, que une o verdadeiro povo de Deus (e não placas denominacionais)

Pr.Olivar Alves Pereira


 E com isso encerramos o assunto! He he.


Sem comentários: