segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

SÓ PARA CONSTAR....



Queridos, sobre aquele assunto de uma discussão entre André Valadão e o Pastor Olivar Alves (cuja minha opinião os irmãos e amigos já conhecem) e que todo o histórico se encontra nos nossos arquivos.
Nós havíamos informados que encerraríamos este assunto e encerramos mesmo, mas atendendo a nossa solicitação o Pastor Olivar nos enviou um comentário (que já havíamos publicado), mas por tanta atenção por parte do Pr. Olivar resolvi publicar um post especial só para a resposta.
Agradeço ao nobre Pastor por me prestigiar com o seu comentário e abro o espaço para que ele possa nos enviar suas matérias para o nosso humilde espaço, pois sua posição teológica representa a posição que acredito como a mais acertada em meio a tanta confusão.


Obrigado por ceder a mim este espaço.
Embora já tivesse dado por finalizado o assunto (da minha parte) tomei conhecimento do seu pedido dando-me o espaço para me pronunciar. Transcrevo a seguir a minha resposta a Valadão que enviei em 22/11 mas que não foi publicada no blog dele.
Deus abençoe a todos. Pr.Olivar Alves Pereira

"Caro irmão, Pr.André. Entro em contato com você. Se você quiser postar no seu blog o que vou dizer, fique à vontade, se não, fica entre nós, Deus o sabe. Depois que lhe respondi nesta segunda-feira (16/11), passei um dia (ou uns dias) muito triste. Não quis em momento algum prejudicar você. Deus sabe disso. Mas então porque coloquei a público? Essa é a sua pergunta e a de muitos. Não tenho blogs, e nem sites. A forma que encontrei para me defender quando senti-me ameaçado de processo por você quando você disse que estava nas mãos dos seus advogados (tive um frio na espinha) foi tornar público o assunto através do meio de que me dispunha: minha caixa postal.
Hoje depois de reler várias vezes nossa discussão, sinto-me profundamente triste e arrependido por ter feito o que fiz. Não me arrependo e nem mesmo retiro uma só vírgula do que lhe disse porque é aquilo ali que eu creio. Mas me arrependo da forma como lhe escrevi. Reconheço que fui ácido em meus comentários. Questionei não a sua pessoa, nem a sua fé em Cristo. Questionei seu comportamento. Penso que todos estamos sujeitos a isso. Eu mesmo fui muito questionado nesses tempos. Fiquei triste com vários comentários a meu respeito; outros me ajudaram a crescer mesmo quando me disseram coisas duras.
O que tenho dito a todos que entraram em contato comigo nesta semana repito a você: "acusei Valadão de união espúria, e pequei por dividir os santos". Entendo que essa divisão não fui eu quem a criou porque ela já existe há muito tempo. Contudo, nesse episódio específico eu contribuí para que essa divisão aumentasse.
Muita gente ficou triste: tanto os que são a favor do que você fez como os que são contra. Para muitos tanto você como eu, ou fomos "demônios" ou "santos".
Como lhe disse, não mudo uma só vírgula do que lhe disse, mas se eu pudesse mudar a forma, e ter sido mais amável nada disso teria acontecido.
Portanto, aqui, publicamente, peço-lhe perdão.
Sei que muitos dirão: "os dois afinaram". Mas, nós dois sabemos muito bem a intensão que dentro de cada um.
Também não sei o que levou você a realizar um show ao lado de uma banda católica. Não quero entrar no mérito da questão, mesmo porque você já sabe muito bem minha opinião sobre atos ecumênicos.
Tenho pedido perdão também a todos quantos se sentiram ofendidos com tudo isso. Porém, peço perdão por escandalizá-los com a forma como escrevi. Contudo, não retiro nenhuma palavra pois, toda a minha argumentação eu fiz com base na Palavra de Deus.
Nós dois pagamos o preço pela nossa convicção.
Perdoo você, meu irmão, mesmo porque o que eu sempre quis foi exortá-lo, e ser reprrendido não é fácil mesmo. Eu sei muito bem disso; estou experimentando isso nesses dias. Também lhe peço perdão, mas clamo a você "pelas misericórdias de Deus", volte a ser o André que você foi um dia. Aquele que nos levava a refletir sobre nosso relacionamento com Deus. Ponha de novo seu talento debaixo da glória de Cristo. Digo isso, com muito amor.
Que Deus o abençoe profundamente.
Em Cristo, que une o verdadeiro povo de Deus (e não placas denominacionais)

Pr.Olivar Alves Pereira"






Sem comentários: