quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

O desgosto de Jonas.


“Mas desgostou-se Jonas extremamente disso, e ficou todo ressentido”. Jonas 4: 1.


O texto lido nos fala do grande desagrado do profeta Jonas. Por que estava ele tão furioso? Porque Deus, em sua opinião, era misericordioso demais.
Deus tinha resolvido poupar Nínive, e Jonas, como patriota, além de profeta, julgou que o ter-se perdoado e poupado Nínive resultaria mais tarde na destruição do reino de Israel. E assim, de fato, aconteceu.
Deus tem se mostrado misericordioso em muitas ocasiões. Ele é rico em misericórdia. Em misericórdia enviou seu filho para sofrer em nosso lugar. Em misericórdia Ele nos tomou, mortos como estávamos, e nos fez viver. No futuro haverá uma nova manifestação de misericórdia abundante e imerecida. O Salvador virá pessoalmente para arrebatar o seu povo deste mundo, onde a morte reina para a terra da vida, nós que o amamos e estamos “esperando a misericórdia de nosso Senhor Jesus Cristo para a vida eterna” (Judas 1: 21).
Não merecemos tão glorioso arrebatamento. Muitas vezes temos sido frios e infiéis. O nosso zelo tem se afrouxado e nos temos esquecido de orar e vigiar.
Contudo, a grande misericórdia do nosso Senhor ser-nos-á manifestada e Ele descerá do céu para nos arrebatar deste mundo de pecado e morte e levar-nos para sempre junto dele mesmo, onde tudo é vida, gozo e glória. Ele disse: “Virei outra vez, e vos levarei para mim mesmo, para que onde eu estiver, estejais vós também”.
Hoje em dia encontramos muitos que, à semelhança de Jonas, ficam furiosos ao ouvirem tais coisas. Não admitem que um homem, por mais devasso e pecador que seja, possa ser salvo. E as palavras de desdém e escárnio se fazem ouvir: “Fulano aprontou, aprontou e agora diz que está salvo, que vai para o céu; eu sei qual o céu para onde ele vai, o céu da boca”.
Sim, o fato de um homem, perdido em seus pecados, ser atingido pela misericórdia de Deus, salvando-o do inferno e transportando-o para o reino da maravilhosa luz, tem desagradado a muita gente. Pergunto: Você é daqueles que se alegram quando um pecador se arrepende e volta-se para o Senhor, ou é um daqueles que, à semelhança de Jonas, fica aborrecido quando alguém é salvo pelo Senhor, recebendo dele a vida eterna?
Quero lhes dizer que, apesar do desagrado de Jonas, Deus mostrou misericórdia aos ninivitas. Que, apesar do seu ódio, da sua amargura, do seu descaso contra Deus e contra o povo de Deus, a misericórdia prometida pelo Senhor e pela qual esperamos confiadamente, com toda a certeza nos será manifestada. O nosso Salvador disse: “Virei outra vez e vos levarei para mim mesmo”. A sua promessa não falhará.
Em certa ocasião o Senhor disse: “Assim como o joio é colhido e queimado no fogo, assim será na consumação deste mundo. Mandará o Filho do homem os seus anjos, e eles colherão do seu reino tudo o que causa escândalo, e os que cometem iniqüidade. E lançá-los-ão na fornalha de fogo; ali haverá pranto e ranger de dentes. Então os justos resplandecerão como o sol, no reino de seu Pai. Quem tem ouvidos para ouvir, ouça”. Mateus 13: 40-43. Jesus virá outra vez. Quer você creia, quer não. Quer você goste, ou não. Ele virá. Nem todos os Jonas furiosos deste mundo poderão evitar essa realização. A vinda de Cristo é um fato, é uma realidade. E uma realidade é uma coisa que não se torna mais ou menos verdadeira porque acreditam ou recusem acreditar nela.
Prepara-te! Arrepende-te dessa vã maneira de viver e de ver as coisas. Crê no Senhor Jesus, busca a sua Palavra, entrega a tua vida ao Senhor e espera, porque Ele vem te buscar.
“Aquele que testifica estas coisas diz: Certamente cedo venho. Amém. Ora vem, Senhor Jesus”.

Rev. José Vasconcelos da Silva Filho
Igreja Presbiteriana Fundamentalista do IPSEP


Sem comentários: