sexta-feira, 23 de abril de 2010

Cristo o Fundamento da Reforma para uma nova Vida





Esboço do Sermão das Comemorações alusivas a Reforma Protestante de 31 de Outubro de 1517-2009
492 Anos do maior avivamento da História da igreja Cristã.
Local: Igreja Presbiteriana Fundamentalista do Brasil em Paulista
Preeleitor: Rev. Luciano Gomes da Silva –IPF-Aldeia.
Dia 16 de Abril de 2009.



Tema: Cristo o Fundamento da Reforma para uma nova Vida

1 Co. 3:11 “Porque ninguém pode lançar outro fundamento, além do que foi posto, o qual é Jesus Cristo.”

Introdução:

Falar da Reforma Protestante em um período onde a Pós-modernidade e o humanismo têm seduzido muitas igrejas ditas Cristãs é um verdadeiro desafio. Tristemente este tema talvez esteja sustentado por algumas muletas tais como a “política da boa vizinhança” ou o grupo dos; “deixa como está para vê como é que fica” ou até nem são lembrados ou falados no meio evangélico. De sorte minha preocupação irmãos é qual a reação da verdadeira Igreja de Cristo diante desta apostasia? Onde estão os reformados deste século? Qual o fundamento da Reforma na nossa vida?Primeiramente gostaríamos de esclarecer alguns pontos:

I-O que foi a Reforma Protestante?

A Reforma foi o maior avivamento da história da igreja, tendo como marco inicial a publicação das 95 Teses contra a venda de indulgências por (João Tetzel, um padre dominicano), conhecido por ter vendido indulgências no século XVI. Sua autoridade como dispensador de indulgências foi concedida pelo Papa Leão X a fim de pregar por toda Alemanha. Em 1517, Tetzel tentava angariar através das indulgências. È bom lembrar que na teologia católica Indulgência é o perdão total ou parcial das penas temporais do cristão que eram feitos através das doações em dinheiro para a construção da Basílica de S. Pedro.
Depois de Lutero surgiram muitos outros reformadores, em 1531 levantara-se Zwínglio e Calvino em Genebra na Suíça, em 1536 na Inglaterra O rei Henrique VIII rompe com Roma juntamente com o parlamento Inglês surgem os notáveis puritanos entre eles podemos citar: Richard Baxter, Jonh Owen, Jonh Bunyan, Em 1603 Jonh Knox o pai e fundador do presbiterianismo na Escócia.
Mais o fato mais marcante na reforma foi à volta as Escrituras como doutrina “fundamental” do Cristianismo. Após séculos de obscuridade espiritual Deus havia avivado sua mensagem poderosa por meio destes homens. A teologia da Reforma tem base os cinco princípios:
Os cinco solas são princípios fundamentais da Reforma protestante:
 Sola fide (somente a fé);
 Sola scriptura (somente a Escritura);
 Solus Christus (somente Cristo);
 Sola gratia (somente a graça);
 Soli Deo gloria (glória somente a Deus).

II-O que é ser um Cristão Reformado?

Sabendo agora o que foi a Reforma podemos definir um cristão reformado como alguém que crê na doutrina bíblica conforme expressa pela Teologia Reformada, elaborada no tempo da Reforma Protestante do Séc. XVI. Ser um Cristão reformado é crer na soberania de Deus revelada na sua Palavra que é a Bíblia Sagrada. É crer na Salvação somente pela graça(Ef. 2.8) e que esta salvação foi nos dada pela fé em Deus por meio de Cristo(Ef.2.8; Gl. 2.16; ) para glória de Deus.

III-O que NÃO é ser um Cristão Reformado?

É possível que o estereótipo do reformado hoje seja o maior obstáculo para o verdadeiro fundamento da reforma para vida? Lamentavelmente digo que sim, por algumas razões óbvias: Primeiro porque os próprios reformadores não precisaram de se auto identificar-se como tal. Sua teologia, suas vidas piedosas, sua firmeza em defender a fé que foi dada aos santos (Judas 1.3) falam por si só. È triste ver que muitos líderes que se intitulam “Reformados” em nossos dias estejam batalhando entre si em vez de batalhar pela fé comum: “Amados, enquanto eu empregava toda a diligência para escrever-vos acerca da salvação que nos é comum, senti a necessidade de vos escrever, exortando-vos a pelejar pela fé que de uma vez para sempre foi entregue aos santos.” (Jd. 1.3).
Segundo porque um dos princípios da própria Reforma é Solus Christus, porém muitos líderes estão se esquecendo de pregar Cristo e estão pregando: Lutero, Calvino e outros. As suas ovelhas estão enfadadas de suas mensagens abastadas(ricas) de Teologia, porém vazias de Ortopraxia (prática). Desconhecem a vida e ministério de Jesus em quanto se especializam na historia dos reformadores. Batem no peito e arrogam para si o título de ortodoxos enquanto que as suas vidas arrotam hipocrisia. Fazem acalorados debates em nome da fé reformada, contudo não conseguem suportar os fracos na fé. “Ora nós, que somos fortes, devemos suportar as fraquezas dos fracos, e não agradar a nós mesmos.” ( Rm. 15:1) Cuidado irmãos é possível que estejamos sendo condenados por aquilo que exortamos a outros a não fazer.
Permitam-me citar as palavras de Richard Baxter pastor puritano inglês sobre este perigo do legalismo:“Portanto, cuidemos de nós mesmos, para não perecermos, enquanto clamarmos a outros que cuidem de si, para não perecerem! Podemos morrer de fome enquanto preparamos comida para outros... É possível que estejam agora no inferno muitos pregadores que tinham instado centenas de vezes com os seus ouvintes a que tomassem o máximo de cuidado e empregassem a máxima diligência para escaparem deste destino tenebroso? Muitos alfaiates podem andar vestidos de trapos, enquanto confeccionam roupas caras para outros.” [O pastor aprovado- BAXTER, Richard, Vida Nova, pp51]

IV-Qual o fundamento da reforma para uma nova vida?

Exegese de I Co. 3:11:

“Porque ninguém pode lançar outro fundamento, além do que foi posto, o qual é Jesus Cristo.”( ARA)
(NTG 4ª Ed.)
Themelion gar allon oudeis dunatai theinai para ton keimenon os estin Iêsous Christos (Trasliteração)

A)Significado semântico de cada palavra.

B)Sugestão de Tradução Literal seria algo assim:

“Fundamento, pois outro ninguém forte( colocar ao lado do destinado, (raiz de =Deitar o qual Ele é Jesus Cristo.”

Nota exegética: Podemos entender segundo esta ideia da tradução literal que o fundamento forte(Forte, poderoso, capaz, competente e qualificado) que Paulo está dizendo que não há de modo nenhum outro fundamento que tenha em si mais força que Jesus Cristo. Ou seja, também significa que Jesus é o único fundamento capaz colocado como a sustentação de toda a religião cristã e que nenhum outro é qualificado para substituir o fundamento que é Jesus Cristo.

Contexto remoto do texto:

“Segundo a graça de Deus que me foi dada, lancei eu como sábio construtor, ( Sig.Construtor competente, mestre de obra, palavra que da origem a Arquitetura) o fundamento, e outro edifica sobre ele; mas veja cada um como edifica sobre ele.” (I Co. 3:10). Paulo está afirmando que foi pela graça de Deus que ele como um grande mestre de obra havia lançado ao coríntios um fundamento altamente forte para sustentar a fé deles e que não havia necessidade de deitar, ou seja, derrubar toda construção para refazer a base do Cristianismo, e que esta base que ele chama de fundamento é Jesus Cristo.

Conclusão:

Irmãos, Paulo nos ensina que todo fundamento da vida cristã tem que ter como base Jesus Cristo, toda nossa vida, a Teologia, a liturgia, tem que ter como fundamento ou alicerce a mensagem da cruz, ou seja, a mensagem de Cristo.

“Certamente, a palavra da cruz é loucura (μωρια =moria loucura, tolice) para os que se perdem, mas para nós, que somos salvos poder de Deus.” (I Co 1:18)

“Mas nós pregamos a Cristo crucificado, escândalo para os judeus, loucura para os gentios”(I Co 1:23)

Se a nossa vida estiver sobre o fundamento de Cristo seremos reformados no significado apropriado ao seu uso no passado porque estaremos voltando ao princípio da Solus Christus em nossas vidas este é o fundamento da vida Cristã reformada porque busca voltar as Escrituras para reencontrar com a verdadeira fonte de toda nossa vida, voltar a viver de forma Cristocêntrica:

“Eu, irmãos, quando fui ter convosco, anunciando-vos o testemunho de Deus, não o fiz com ostentação de linguagem ou de sabedoria. 2 Porque decidi nada saber entre vós, senão a Jesus Cristo e este crucificado. 3 E foi em fraqueza, temor e grande tremor que eu estive entre vós. 4 A minha palavra e a minha pregação não consistiram em linguagem persuasiva de sabedoria, mas em demonstração do Espírito e de poder, 5 para que a vossa fé não se apoiasse em sabedoria humana, e sim no poder de Deus.” (I Co. 2:1-4)

Solus Christus Amados irmãos.

Rev. Luciano Gomes.
Pastor da Igreja Presbiteriana Fundamentalista do Brasil Em Aldeia-Camaragibe-PE.

Sem comentários: