domingo, 23 de maio de 2010

Missões nas Epístolas e em Apocalipse




Nas epístolas de Romanos a Judas estão contidos importantes documentos e relatórios missionários, pois nos informam quantas igrejas foram plantadas, tanto entre os gentios como entre os judeus. São instruções quanto ao verdadeiro sentido do discipulado, conflitos transculturais, combates às trevas e às heresias, orientações doutrinárias para se plantar igrejas, etc.
Quase todas as cartas contêm notas missionárias e mais especificamente as notas de Paulo contém saudações que dizem: “A igreja de Deus, que está em...”. Neste trecho o verbo indica algo provisório, a igreja não pertence à localidade na qual foi plantada, o sentido é o de peregrina, ou seja, ela (através dos seus membros) deve se deslocar para outras comunidades – Ação missionária.
Uma igreja sadia e bíblica deve ser peregrina e se deslocar para várias partes do mundo através de ação missionária efetiva.

“A igreja que não faz missões, um dia deixará de ser igreja.”

No livro de Apocalipse está o relato do grande julgamento de Deus sobre a humanidade. Nos primeiros três capítulos o julgamento é específico para Sua Igreja. Mas em apocalipse 5:9 encontra-se a razão de ser da Igreja, o motivo pelo qual o preço da cruz é a maior causa missionária:

Vs “... pois foste morto, e com teu sangue compraste para Deus homens de toda tribo, língua, povo e nação”.

De gênesis a apocalipse a doutrina de fazer missões é algo enraizado em cada livro divino, é a razão, o fator primordial do existir de uma igreja local. Sem missões a igreja perde sua essência maior, sua missão prioritária – resgatar o homem do pecado e levá-lo à adoração do único Deus.

“Sem missões não há adoração verdadeira”.

Trecho de: PORQUE A IGREJA NÃO FAZ MISSÕES?
        Autor: Pr. José Pontes Filho       
Colaboração do irmão Marcos Teixeira            




Sem comentários: