quarta-feira, 21 de julho de 2010

Semeando duas sementes

John Chapman (Johnny Appleseed)

Johnny AppleseedNão muito tempo depois da assinatura da Constituição dos Estados Unidos, nasceu, no Estado de Massachusetts, John Chapman. Muito pouco se conhece de seus primeiros anos de vida. Mas sabemos que, na sua mocidade, trabalhou num engenho de cidra a oeste da Pensilvânia. Algumas pessoas haviam começado a viajar naquela direção, para além da fronteira, mas muitas delas acreditavam que a região era selvagem e pouco desenvolvida para ser colonizada.
Enquanto trabalhava naquele engenho, John Chapman foi possuído por uma idéia e uma visão e sua influência no futuro da nação seria tão grande como ele jamais poderia ter imaginado.
Um subproduto óbvio do trabalho no engenho eram as sementes - pilhas e pilhas de sementes de maçã que sobravam do processo de espremer as frutas. Elas formavam montes que pareciam inúteis a quase todos. Mas um homem percebeu a sua utilidade, e essas sementes tornaram-se o centro da visão que fascinou John Chapman.
Certo dia, depois de muito planejamento, Chapman encheu grandes sacos com as sementes, demitiu-se do emprego e preparou-se para seguir rumo ao oeste. Enquanto viajava, foi plantando macieiras ao longo do caminho.
O propósito do jovem era claro. Da mesma forma que milhares de pretensos colonizadores, ele ficara fascinado pela visão de uma nação jovem expandindo-se para oeste. Mas John Chapman tinha uma noção diferente do desafio que o oeste oferecia. Ele sabia que, no momento em que grandes multidões começassem a chegar para se estabelecerem ali e criarem suas famílias, haveria pouca coisa com que sustentá-las durante a viagem e assegurar-lhes a chegada aos locais onde iam fixar-se. Desse modo, ao longo das trilhas e nos pontos em que fazendas futuras poderiam desenvolver-se, esse visionário plantou sementes ao acaso e em pomares. Fez isso na expectativa de que, quando os pioneiros chegassem, houvesse frutos disponíveis esperando por eles.
Ele enfrentou as intempéries, aprendeu a lidar com os índios e a vencer as dificuldades na perseguição de seu sonho. Chapman era também um homem de fé, tido como dedicado à Palavra de Deus e ao testemunho de Jesus Cristo. Conta-se que não só plantou sementes no solo, como também levou sementes espirituais que germinariam no coração de homens e mulheres. Era um homem com uma visão do futuro, que via as possibilidades de um país incipiente. Ele semeou para o amanhã como um ato de fé.
Alguns, que não acreditam na história, dizem que o homem era insano. O mundo provavelmente sempre verá os que se entregam a uma visão - que plantam para o futuro - como alienados. Não obstante as avaliações negativas, os mais lúcidos dizem que ele foi uma personalidade-chave na história inicial dos Estados Unidos, como Daniel Boone ou Kit Carson; um dentre os que pavimentaram o caminho para a grande nação do norte.
Um monumento foi levantado a Chapman no coração da América. Colocado num pequeno parque em Indiana, é possível visitar o local onde ele foi sepultado - um tributo prestado à vida e à contribuição de um grande semeador. Quando você procurar por ele, vai encontrá-lo sob outro nome, afetuoso, que lhe foi dado há quase dois séculos pelos colonos cujas vidas foram facilitadas em virtude de sua visão: Johnny Appleseed (Johnny Semente de Maçã / Joãozinho Semente de Maçã).

Rev. Elvino Rodrigues da Silva

____________________________________________________________________________
A "loucura" de alguns homens de Deus ainda hoje dão os mais preciosos frutos para uma sociedade que precisa de alimento genuíno e que nutre a alma.
Lendo sobre homens assim, sinto mais força de continuar plantado a semente da vida nos corações na certeza que Deus confirmará a obra de nossas mãos.
Marcelo Gomes

Sem comentários: