segunda-feira, 30 de agosto de 2010

A IMPORTÂNCIA DO CREDO EM NOSSOS DIAS.

Rev. Davi Nascimento

Um ponto que se discute muito é sobre a Trindade. Alguns dizem que se crerem em uma trindade, estarão crendo em três deuses, mas isso ocorre pelo entendimento que foi passado durante anos, séculos da existência do cristianismo. Primeiro precisamos entender que a palavra trindade vai conduzir muitos a esse pensamento errôneo, pois dá a entender que existe uma tríade de deuses. O correto é Tri-Unidade, que dá um entendimento mais correto de que só há um Deus, Puro e Verdadeiro e pessoal, que sub-existe em três Pessoas: Pai, Filho e Espírito Santo. A doutrina da trindade é um fato que é inegável na Sagradas Escrituras, porém seremos confrontados por seitas que tentarão nos desviar desse entendimento com argumentos tentadores, como por exemplo: “Me mostre na Bíblia a palavra Trindade ou Tri-Unidade”. De fato não encontraremos a palavra Trindade ou Tri-unidade com todas as letras na Bíblia, porem há uma vastidão de capítulos e versículos que fala essa verdade de uma forma pratica, aliás os cristãos do primeiro século estavam habituados a professarem a fé em um Deus Tri-úno, que não tinham problema em particularizar as três Pessoa de uma forma que edificasse a igreja.
Se eu perguntasse nesta noite, quem crer no credo apostólico, qual seria a resposta? Se não, eu perguntaria, o porquê. O problema é que o credo apostólico foi particularizado pela a igreja católica, como se lhe pertencesse, mas o forte engano é que, não pertence a igreja católica, o credo nunca foi apostólico romano, mas de todo aquele que crer fielmente em um Deus Tri-Úno, ou seja, os cristão verdadeiro, que não crêem em deuses, mas em um único Deus Verdadeiro, que sub-existe nas três pessoas, o Pai, o Filho e o Espírito Santo. Podemos ver como o credo começa reafirmando essa fé quando ele diz: “Creio em Deus Pai, Todo-poderoso, Criador do Céu e da terra. Creio em Jesus Cristo, seu único Filho, nosso Senhor... Creio no Espírito Santo”. Infelizmente, com a romanização, este credo se tornou uma reza ou mesmo um amuleto da sorte, quando este deveria ser uma profissão de fé declarada por aqueles que seguem a Jesus e os princípios Bíblicos do Cristianismo.
Quando dizemos: “Creio em Deus Pai”, o que isso significa? Significa que eu creio em Deus como Pai bondoso, amoroso que cuida e preserva os seus filhos. Significa que Creio que Deus me criou junto com todas as criaturas, e me deu corpo e alma, olhos, ouvidos e todos os membros, inteligência e todos os sentidos, e ainda os conserva; além disto, me dá roupa, calçado, comida e bebida, casa e lar, família, terra, trabalho e todos os bens. Concede cada dia tudo de que preciso para o corpo e a vida; protege-me de todos os perigos e guarda-me de todo o mal. E faz tudo isso unicamente por ser meu Deus e Pai bondoso e misericordioso, sem que eu mereça, ou seja, digno. Por tudo isso devo dar-lhe graças e louvor, servi-lo e obedecer-lhe.

Quando digo: “Creio em Jesus Cristo, seu único Filho, nosso Senhor”, o que isso significa? Significa que Creio que Jesus Cristo, verdadeiro Deus, gerado do Pai desde a eternidade, e também verdadeiro ser humano, nascido da virgem Maria, é meu Senhor. Ele perdoou a mim, pessoa perdida e condenada, e me libertou de todos os pecados, da morte e do poder do diabo. Fez isto não com dinheiro, mas com seu santo e precioso sangue e sua inocente paixão e morte. Fez isto para que eu lhe pertença, seja obediente a ele em seu reino e lhe sirva em eterna justiça, inocência e felicidade, assim como ele ressuscitou da morte, vive e governa eternamente.

Quando digo: Creio no Espírito Santo, o que isto significa? Significa que Creio que, por minha própria inteligência ou capacidade, não posso crer em Jesus Cristo, meu Senhor, nem chegar a ele. Mas o Espírito Santo me chamou pelo Evangelho, iluminou com seus dons, santificou e conservou na verdadeira fé. Nisto creio que o Espírito Santo é Deus, pelo fato dele ter poder para me convencer do meu pecado e da condenação que está por vir.
Se alguém nos perguntar, qual o credo que a nossa religião professa, qual a resposta que vamos dar? A pessoa simplesmente está nos perguntando em que crer a religião que professo pertencer. Se negamos o credo estamos negando a Tri-Únidade de Deus.
A nossa Confissão de Fé de Westminster nos diz em seu capitulo dois, na seção três que:

“Na unidade da Divindade há três pessoas de uma mesma substância, poder e eternidade – Deus o Pai, Deus o Filho e Deus o Espírito Santo. O Pai não é de Ninguém – não é gerado, nem procedente; o Filho é eternamente gerado do Pai; o Espírito Santo é eternamente procedente do Pai e do Filho”.

Esta declaração tem fundamento Biblico, pois no texto que lemos inicialmente, nos fala de onde veio o Senhor Jesus:

NO PRINCIPIO ERA O VERBO... João 1:1-18

Precisamos entender, primeiramente, que principio é este, e depois que verbo. O principio falado em João se refere a era mais remota do universo, quando nada existia, nem planetas, nem estrelas. Se refere aquele tempo que é relatado em Gn 1:2: “E a terra era sem forma e vazia; e havia trevas sobre a face do abismo; e o Espírito de Deus se movia sobre a face das águas”. E o versículo 1 nos diz: “NO princípio, criou Deus os céus e a terra”. Ou seja, do nada Deus criou, nada existia e Deus assim formou, é este o principio afirmado por João, o mais interessante nisto é que o Verbo estava presente na criação do universo, que Verbo é este? Este Verbo é Jesus, Ele estava no principio, porém João não para por ai, ele diz que este Verbo estava com Deus e que este verbo era Deus. Como dizemos que este Verbo é Jesus? João nos diz no versículo 14 que “O Verbo se fez carne, e habitou entre nós, e vimos a sua glória, como a glória do unigénito do Pai, cheio de graça e de verdade”. Primeiro João diz que no principio era o Verbo e que o verbo estava com Deus e o Verbo era o próprio Deus e agora ele nos diz que este Verbo se fez carne e habitou entre nós e que vimos a sua glória como único Filho do Pai. João fala de um só Deus, ainda que duas Pessoas distintas, o Pai e o Filho. Mais na frente João vai dizer que “Deus nunca foi visto por alguém; o Filho unigênito, que está no seio do Pai, esse o fez conhecer”, v. 18. Filipe certa vez pediu para que Jesus lhes mostrasse o Pai, e isso lhes bastava, Jesus respondeu dizendo: “Estou há tanto tempo convosco, e não me tendes conhecido, Filipe? quem me vê a mim vê o Pai: e como dizes tu: Mostra-nos o Pai?”, Jo 14:9. Jesus não está dizendo que é o Filho e que ao mesmo tempo era o Pai, Ele está dizendo que é Deus encarnado na forma do Filho e que tem os mesmo poderes do Pai, tanto que Ele afirma em Jo 5.19-23: Na verdade, na verdade vos digo que o Filho, por si mesmo, não pode fazer coisa alguma, se o não vir fazer ao Pai; porque, tudo quanto ele faz, o Filho faz igualmente. Porque o Pai ama o Filho, e mostra-lhe tudo o que faz, e ele lhe mostrará maiores obras do que estas, para que vos maravilheis. Pois, assim como o Pai ressuscita os mortos, e os vivifica, assim também o Filho vivifica aqueles que quer. E também o Pai a ninguém julga, mas deu ao Filho todo o juízo; Para que todos honrem o Filho, como honram o Pai. Quem não honra o Filho não honra o Pai que o enviou. Ainda Jesus Cristo afirma em Jo 10:30: “Eu e o Pai somos um”. Novamente Jesus afirma, não que Ele e o Pai são as mesmas pessoas, mas que são um, ou seja um só Deus da mesma substância, porém distintos em pessoa. O que queremos dizer por pessoa? O fato é que quando a Bíblia atribui sentimentos e formas humanas a Deus, isso chama-se:

• Antropomorfismo - É a atribuição de qualidades humanas ou de características de formas humanas à Divindade.

• Antropopatismo - É a atribuição de sentimentos humanos a Deus. Nas Sagradas Escrituras, encontramos várias expressões como esta: a ira de Deus, o arrependimento de Deus, o amor de Deus, etc (Nm 22.22; Jn 03.10; Jo 03.16).

Vemos que quando falamos que Deus é um, porém subsiste em Três Pessoas, pelo falo fato de que cada uma das pessoas na Tri-únidade (Trindade), possuem formas pessoais.

Quanto ao Espírito Santo? O Espírito Santo também possui forma pessoal, Ex: “E não entristeçais o Espírito Santo de Deus, no qual estais selados para o dia da redenção”, Ef 4:30. “E, da mesma maneira, também o Espírito ajuda as nossas fraquezas; porque não sabemos o que havemos de pedir, como convém, mas o mesmo Espírito intercede por nós, com gemidos inexprimíveis. E aquele que examina os corações sabe qual é a intenção do Espírito; e é ele que, segundo Deus, intercede pelos santos”, Rm 8:26, 27.

Quanto ao Filho, Jesus? “Jesus chorou”, Jo 11:35. “E entrou Jesus no templo de Deus, e expulsou todos os que vendiam e compravam no templo, e derribou as mesas dos cambistas e as cadeiras dos que vendiam pombas: E disse-lhes: Está escrito: A minha casa será chamada casa de oração — mas vós a tendes convertido em covil de ladrões”, Mt 21:12, 13.

Quanto ao Pai? “Meu Pai, que mas deu, é maior do que todos; e ninguém pode arrebatá-las da mão do meu Pai”, Jo 10:29; “Porque Deus amou o mundo, de tal maneira, que deu o seu Filho unigénito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna”, Jo 3.16.

Todos estes textos e exemplos nos mostra de uma forma resumida a personalidade de cada pessoa na Tri-Únidade de Deus. Não negamos o fato deste ensino ser difícil para o entendimento de muitas pessoas, porém podemos ver tal ensinamento de uma forma explicita na Sagradas Escrituras. Se negarmos o Pai, negamos o filho que por conseguinte negaremos também o Espírito Santo, revelando assim um ateísmo pratico e teórico. Podemos perguntar agora: Podemos descartar o credo de nossa vida de testemunho para com Deus? Se descartamos, declaramos que não cremos na Tri-Únidade de Deus. Devemos também nos lembrar que o credo não é uma reza ou oração, mas uma expressão de fé na Tri-Únidade de Deus. Existem outros credos como:

• O Credo Niceno (325 A.D)
• O Credo de Atanásio (Provavelmente no séc. IV A.D)

Você nega o Credo? Se não recite comigo, trocando igreja católica por igreja Cristã.

Creio em Deus Pai, Todo-poderoso, Criador do Céu e da terra. Creio em Jesus Cristo, seu único Filho, nosso Senhor, o qual foi concebido por obra do Espírito Santo; nasceu da virgem Maria; padeceu sob o poder de Pôncio Pilatos, foi crucificado, morto e sepultado; desceu ao Hades; ressurgiu dos mortos ao terceiro dia; subiu ao Céu; está sentado à direita de Deus Pai Todo-poderoso, donde há de vir para julgar os vivos e os mortos. Creio no Espírito Santo; na Santa Igreja Universal; na comunhão dos santos; na remissão dos pecados; na ressurreição do corpo; na vida eterna.

Amém.

_______________________________________
FONTE DE PESQUISA: Bíblia; Confissão de Fé de Westminster; catecismo Maior de Westiminster; Sola Scriptura (Paulo anglada); A Tri-Unidade de Deus (Stanley Rosenthal) e
http://www.luteranos.com.br/articles/8161/1/O-Credo-Apostolico/1.html.

Sem comentários: