quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Novidade!

Segundo cientistas, a divisão do Mar Vermelho "pode realmente ter acontecido".

Um dos episódios mais dramáticos da Bíblia, a divisão do Mar Vermelho, pode realmente ter acontecido. É o que novas pesquisas científicas mostram.

Entretanto, o evento descrito no Livro de Êxodo foi, provavelmente, motivado por condições meteorológicas e não por uma intervenção divina.
Um estudo de modelagem sugere que um vento forte poderia ter dividido as águas tal como descrito na Bíblia, intrigando os estudiosos e encantando os filmes de Hollywood. A localização do provável milagre também não teria sido no Mar Vermelho e sim na região do Delta de Nilo.
No relato do Êxodo, Moisés e os israelenses estavam presos entre os carros de Faraó e uma massa de água, identificada como o Mar Vermelho. Graças a uma intervenção divina, um forte vento oriental acabou separando as águas para deixar um trecho de terra seca, com paredes de água em ambos os lados. Por ali, os guiados por Moisés conseguiram fugir do exército de Faraó e os soldados, que vinham logo atrás, acabaram sendo afogados.
Segundo uma matéria do Daily Mail, um grupo de cientistas norte-americanos estudaram mapas antigos da região do Delta do Nilo, onde localizaram o provável local do evento. Análises de registros arqueológicos, medições por satélite e mapas permitiram aos pesquisadores estimar o fluxo de água e profundidade no local há 3 mil anos.
Um modelo digital do oceano foi então utilizado para simular o impacto de um vento forte nas águas. Os cientistas descobriram que um vento leste teria impulsionado as águas.
Por um período de quatro horas, as águas realmente teriam sido separadas, com obstáculos de água em ambos os lados e criando uma passagem de 3, 2 km de comprimento e 5 km de largura. Assim que os ventos diminuíram, as águas voltaram ao fluxo normal.
Carl Drews, do Centro Nacional para Pesquisas Atmosféricas, em Boulder, Colorado, declarou: “A separação das águas pode ser compreendida através da dinâmica de fluidos. O vento moveu a água de uma forma que, em conformidade com as leis da física, criou uma passagem segura de água em dois lados e, em seguida, abruptamente permitiu que a água corresse de volta”.
Ele ainda complementou: “As pessoas sempre ficaram fascinadas por esta história do Êxodo, querendo saber se tratava-se de fatos históricos. O que este estudo mostra é que a descrição da divisão das águas na verdade tem uma base em leis físicas”.
Um conjunto de 14 simulações de computador mostrou que a terra seca também pode ter sido exposta em outros dois locais próximos, durante a tempestade de vento.

Agradecemos ao Blog: O buteco na net

________________________________________________________________________

NOTA: Na realidade o que acontece é que os cientistas observam os fatos "analisáveis"  e afirmam que o seu objeto de estudo, no caso a separação do mar vermelho é fato verídico, e pela sua incapacidade de analisar a Deus, pois Ele não é (e não pode ser) objeto de estudo não atribuem a Ele o fato.
Ou seja: "ELES ACREDITAM EM PAPAI NOEL, MAS É O SEU PAI QUE COLOCA O PRESENTE NA MEIA".

Mercelo Gomes

Sem comentários: