quarta-feira, 30 de março de 2011

O dever da restituição

O livro  de  Levítico  contém todos os princípios fundamentais da nossa religião e da nossa fé. Era o manual de culto dos sacerdotes, cinco ofertas são mencionadas nesse livro e a mensagem dessas ofertas era; Ponha a sua vida em ordem. 
No cap. 5: 14-19, temos as leis concernentes as oferendas por transgressões que se ofereciam para expiar inflações em coisas santas. 
Estes sacrifícios referem-se ao pecado que exige uma restituição mesmo antes da oferta e apresenta-se sob duas formas: uma pela transgressão de faltas em dar as coisas sagradas do Senhor versículo 15,  outra  pela transgressão “contra os mandamento do  Senhor”
versículo 17.  
Se alguém se apropriava para seu uso das coisas dedicadas a Deus, se por ignorância houvesse feito uso dos dízimos, dos primeiros frutos, e dos primogênitos do seu gado,  se  houvesse  comido das partes dos  sacrifícios que eram reservados para os sacerdotes, isto era uma inflação.
Se estes pecados fossem cometidos por descuido ou ignorância, estava estabelecido esse sacrifício.  O infrator devia  trazer uma oferenda ao Senhor a qual em todos os casos citados era um carneiro sem defeito.
Também, devia fazer restituição ao sacerdote de acordo com uma justa estimativa do que havia defraudado acrescentando a quinta parte ou seja vinte por cento do objeto roubado.
A restituição era o pensamento dominante da oferta pela transgressão (roubo).  A palavra transgredir no hebraico e também no português geralmente tem referência a uma invasão dos direitos alheios.
O povo roubava a Deus os dízimos e outras ofertas que a Ele pertenciam; isto constituía uma invasão dos direitos divinos.
Notem que se alguém retivesse o dízimo que a Deus pertencia, assim como se apropriasse indevidamente para seu uso das coisas dedicadas ao Senhor, e o fizesse por ignorância havia um sacrifício para – remissão desses pecados; porém se esses pecados fossem cometidos com dolo, presunção, intencionalmente, com desrespeito a lei, o ofensor devia morrer. “Sem misericórdia morre pelo depoimento de duas ou três testemunhas quem tiver rejeitado a lei de Moisés”
Hebreus 10: 28

É um grave erro supor que estamos seguros e certos se vivermos de acordo com a nossa consciência. Deus tem balanças, nunca poderemos compreender a sua santidade.

“Se alguma pessoa pecar e  transgredir contra ao mundo e todos os mandamentos do Senhor, o que se não deve fazer, ainda que o não soubesse, contudo será ela culpada, e levará a sua iniqüidade”
Levítivo 5:16

Que o Senhor aplique a sua palavra aos nossos corações e nos ajude a lembrar dela e a praticá-la no nosso viver diário. 
Pr. José Vasconcelos da Silva Filho
Pastor da IPF do IPSEP-Recife-PE
Professor do Seminário Presbiteriano Fundamentalista do Brasil - Recife
Nosso pastor e colaborador.

Sem comentários: